quarta-feira, 5 de julho de 2017

Amar!


Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui... além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente
Amar! Amar! E não amar ninguém!

Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...


Florbela Espanca


7 comentários:

  1. Quem disser que se pode amar alguém
    Durante a vida inteira é porque mente!

    Lindíssimo poema - O amor longevo habita o inconsciente do ser humano como 'dom', como graça divina - daí a facilidade de amar, constantemente, muitos outros (não se trata de um ser volúvel).

    ResponderExcluir
  2. Este é um dos poemas da nossa Florbela Espanca que se sabe de cor. E se canta!
    Bjinho, Célia

    ResponderExcluir
  3. Amar sempre e sempre amar: a vida, as pessoas, o ser, o aqui estar... Simplesmente e complexamente, amar.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Se puder, oiça...

    https://youtu.be/peWva7n1q3w

    ResponderExcluir
  5. Lindo menina, lindo uma primavera em cada vida e se deixarmos passar a estação, os frutos colhidos não terão mais os mesmos sabores, nem a paisagem a mesma beleza ou nós a mesma euforia, bjos

    ResponderExcluir
  6. Grande poeta, uma poesia fantástica e linda. Sou fã desse poeta de todos os tempos. Parabéns pela escolha amiga. Grata pela visita lá no meu cantinho. Serás sempre bem vinda.
    Querida, tenha uma noite de paz e um lindo amanhecer. Abraçoss

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.